Grandes Discos do Rock Gaúcho 10

Photobucket
Pois é meus caros amigos aqui do Durango, como diria o taura: "É no andar da carroça que as melâncias se ajeitam"... Após muito tempo sem nossos Grandes Discos, estamos de volta com muitos diamantes preciosos para seu deleite...

Simone Capeto - Bom Futuro

Nei Lisboa é, seguramente, o grande compositor gaúcho dos últimos vinte e tantos anos. Porém, apesar de uma fina discografia de oito excelentes álbuns, Nei é um cantor cult fora da fronteira do Rio Grande do Sul, que consegue apaixonar quem conhece sua obra, mas ainda está distante do reconhecimento que merece.

A carioca Simone Capeto, uma das apaixonadas pelo repertório do compositor, levou adiante a paixão e o resultado é o simplesmente tocante Bom Futuro, álbum que marca o belo debute oficial da cantora e pesca quinze canções da história de Nei Lisboa.


Os Relógios de Frederico - Quatro Centésimos de Semitom

Os Relógios de Frederico são um coletivo musical formado pelos grupos Chumbo Grosso, Faskner e os próprios Relógios, e desde 1997 vêm realizando uma fusão de sonoridades nas composições e nas improvisações (trabalhando tanto com padrões rítmicos da música popular quanto com textura polifônica e harmonia atonal). Com uma sonoridade própria, o grupo junta elementos do funk, da música brasileira e da música acadêmica contemporânea. Os shows, marcados por performances que enolvem o público tanto com a música quanto com os elementos visuais que compõem o palco, complementam o que é dito através da música.

Têm lançados os discos Quatro Centésimos de Semitom (2000) - selo Fumproarte da Prefeitura Municipal de Porto Alegre, Chumbo Grosso (2003) - co-produção da banda com o selo/estúdio Abrigo do Som, e em 2005 lança Faskner, com músicas instrumentais. Entre os prêmios recebidos estão o Troféu Açorianos Melhor disco de pop-rock e Banda revelação / 2001, Projeto Rumos Musicais Itaú Cultural / 2001, Projeto Rumos Musicais Itaú Cultural - Tendências e Vertentes / 2005.


Levitan e Os Tripulantes - com.pacto.triplo

Com o lay-out dos antigos compactos de vinil, inclusive com os sulcos em baixo-relevo, a idéia do CD com.pacto.triplo é divulgar o trabalho como faziam as gravadoras nos tempos do vinil. Na época, os compactos (com duas músicas) serviam para divulgar os LPs (geralmente com doze canções). Da mesma forma, o projeto com.pacto.triplo (com seis composições de Cláudio Levitan) pretende abrir caminho para o futuro LP (Longa Peregrinação), que está em fase de gravação. Antes do lançamento do LP, deve sair um segundo "compacto triplo”, provisoriamente intitulado O Outro Lado B.

Com dois CDs premiados com o troféu Açorianos – O Primeiro Disco (1997) e Minha Longa Milonga (2000) – o compositor ataca de “band leader”, abraçando o rock’n’roll com propriedade. Marcou bobeira, segunda faixa, é rock para não deixar nenhuma cabeleira parada, no melhor estilo Beatles. A épica Alma do povo é o encontro perfeito do espírito heróico do rock com o sangue guerreiro dos pampas. A belíssima balada Nada mais, gravada nos anos oitenta pelo grupo Saracura, recebe agora a emocionada interpretação de seu compositor, dando-lhe um gostinho de coisa recém saída do forno.

Acompanhado de Os Tripulantes (Alexandre Kumpinski nas guitarras, Carina Levitan na bateria e Leonardo Brawl no baixo), o músico, arquiteto, escritor e ilustrador, antes que algum aventureiro o faça, rotula sua sonoridade como “rock de raiz aérea”. O CD traz também as participações de Julio Rizzo (trombone), Francine Mello e Kiko Ferraz (backing vocals).
Carlos Hahn



Móica - Móica

Alexandre Móica
é conhecido como guitarrista da banda Acústicos & Valvulados, banda gaúcha já consagrada no cenário musical do Sul do País. Além da guitarra, Móica também tem exercitado sua veia poética compondo suas próprias canções. Além de compor, recentemente ele fez também sua estréia nos vocais da música "Vou com você" para a gravação do último DVD ao vivo e acústico da banda, intitulado "Acústicos & Valvulados ao Vivo e a Cores".

Agora Móica lança seu trabalho solo onde, além de toca violão e guitarra, também interpreta suas primeiras composições de sua própria e exclusiva autoria. O resultado é simplesmente o álbum Móica, brilhante do iníco ao fim.

Influenciado pela cena emergente do Rock Gaúcho, Móica conta nesse novo trabalho com músicos que, além de influenciar suas canções musicalmente, foram e são figuras ativas na cena local e nacional. São 12 músicas, uma instrumental e onze canções, todas de autoria de Móica e em versões inéditas e contam com a participação de Gabriel Guedes nos Baixos (guitarrista e baixista da banda Pata de Elefante), Alexandre "Papel" Loureiro (da Banda Locomotores) toca a bateria em 10 músicas, Luciano Leaes nos teclados (também dos Locomotores), Ale "Cereja" (Supergatas) nas baterias de "Não Sei se Vai Valer a Pena" e "Só O Que Ela Gosta". Gustavo Telles, baterista da banda Pata de Elefante, participa nos vocais de apoio das canções "Eu Já Sei Onde Isso Vai Dar" e "Junto A Mim".


Wander Wildner - La Cancion Inesperada

La Cancion Inesperada, o sétimo disco de Wander Wildner abandona de vez a estética punk brega, e mergulha de cabeça nas canções. O disco traz composições de Antonio Villeroy, da Barata Oriental, de Jimi Joe, uma antológica regravação de "Amigo Punk" (Graforréia Xilarmônica) e uma bela ode ao underground, a canção "O Reverendo do Rock Gaúcho".

A idéia de que a produção do onipresente Kassin – mais para a MPB do que para rock - sinalizaria uma guinada para longe do rótulo bastardo de 'punk-brega' associado ao cantor é dissipada já na primeira faixa, "Um Bom Motivo" da banda catarinense Stuart.

A versão mais próxima do tradicionalismo gaudério de "Amigo Punk" (da Graforréia Xilarmônica, a música mais ostensivamente gaúcha já composta) lima grande parte do humor original, mas acrescenta profundidade e um belíssimo instrumental movido a gaita.

Os elementos do velho Wander estão todos aqui: covers que são bonitas de tão tacanhas, romantismo com aquele hálito de bebum, citações referenciais, gaúchas e até no maravilhoso portuñol. La Canción Inesperada tem picos extraordinários e Wander está tão bem quanto jamais esteve.
Diego Fernandes



Tom Bloch - Tom Bloch 2

O personagem Tom Bloch saiu de um conto de um ex-integrante da banda, Gustavo Mini Bittencourt, para dar nome ao grupo de Porto Alegre que estréia o selo Som Livre Apresenta com o álbum Tom Bloch 2.

Em quase todas as faixas do CD, quem ouve o pop rock recheado de influências eletrônicas de Pedro Verissimo, vocalista e principal compositor, e Iuri Freiberger, produtor e baterista, quase enxerga o homem de cara de bloco que é símbolo da banda. O som de Tom Bloch é urbano, pop denso, feito pra preencher a paisagem pesada da cidade.

A quinta faixa, Entre nós dois, é um bom exemplo. Eleita como primeira música de trabalho - e escolhida para ser a trilha sonora do novo curta do cineasta Jorge Furtado - vem acompanhada de um sensacional clipe que penetra a cidade com solos de guitarra e muito estilo e uma fotografia surpreendentemente simples e arrebatadoramente criativa.

Ironia e melancolia, peso e delicadeza se revezam nas faixas do álbum. Tanto na sonoridade, moderna, difícil de resumir em um único estilo, como nas letras maduras e reflexivas, fica clara a intenção de fazer música pop para gente grande. E não por acaso as letras são destaque: o sobrenome de Pedro já entrega o famoso DNA literário.

Falando sobre relações - amorosas ou não - e soando como a cidade que serve de cenário, Tom Bloch cria uma elegante e contamporânea colcha de retalhos cheia de imagens.


Pata de Elefante - Um Olho no Fósforo, Outro na Fagulha

Realmente surpreendente! Claro que há tempos conheço o potencial desse trio, desde os primitivos tempos de mamutes, com toda ordem de bares, botecos e festinhas sempre lotados, com o público boquiaberto com a novidade musical de Porto Alegre. Desde shows com repertório mais tranqüilo numa cantina nos altos do viaduto da Borges, a inferninhos pulsando com a visceralidade de Gabriel Guedes (guitarra/baixo), Daniel Mossmann (guitarra/baixo) e Gustavo “Prego” Telles (bateria). Depois do bem sucedido CD de estréia, lançado em 2004, eis que estou numa farta churrascada com amigos e escuto praticamente em primeira mão Um olho no fósforo, outro na fagulha.

O equilíbrio da autoria das canções evidencia o talento de seus integrantes como compositores. A estradeira Solitário, de Gustavo Telles, nos remete a uma highway erma do interior do Texas, ou até mesmo ao asfalto que corta o nosso pampa, com uma bela melodia interpretada pela guitarra. Em seguida, Hey!, de Gabriel Guedes, expressa agressividade na dose certa, flertando com surf music. Marta, de Daniel Mossmann, traz vigorosa melancolia, um best of dos sentimentos que um homem pode ter em relação a mulheres, música e vida (pelo menos é assim que me sinto).

Um dos pontos fortes do novo disco é o ecletismo das faixas. Psicodelia a la Sgt. Peppers em Dom Genaro (Gustavo Telles), plenitude e paz em Presente para Mary O (Gabriel Guedes), country e rock em Estranha (Daniel Mossmann), a auto-explicativa Bolero das Arábias (Daniel Mossmann) e rockão com pedal steel em Carpeto Volatore (Gabriel Guedes). Outro diferencial desse segundo trabalho é a pluralidade de participações especiais e colaborações nos arranjos, com direito a eficientes e venenosas linhas de sopro, pianos, órgão, cítara e percussões, dando ares de big band em diversos momentos, como na faixa que dá titulo ao disco, um rock soul ao melhor estilo Ray Charles.

Márcio Petracco, Luciano Leães, Alexandre “Papel” Loureiro e Julio Rizzo, figuras mais que tarimbadas da música sulista, são alguns nomes que abrilhantam essa obra. Um olho no fósforo, outro na fagulha foi gravado no Estúdio IAPI, com registros adicionais no Estúdio Dreher, mixado por Thomas Dreher e produção assinada pela própria banda e Vicente Guedes.
Chico Bretanha


Pública - Polaris

Com forte influência de rock inglês, Polaris traça um paralelo entre a música intimista das regiões de baixas temperaturas nos dois hemisférios do planeta. A banda não poupou esforços na busca de timbres fiéis e orgânicos. Foram utilizados inclusive o piano e o teatro da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (OSPA) na gravação. O grosso do material foi captado num sítio em Três Coroas (RS) durante uma temporada de dedicação e esmero. A produção musical ficou a cargo de Marcelo Fruet, que já realizou trabalhos para várias bandas da “nova” geração da música sulista como Zumbira e os Palmares, Os Subtropicais, Proveitosa Prática, Da Guedes, Chimarruts, Groove James, entre outros.

A Pública também teve o cuidado de ilustrar suas músicas com belos videoclipes. Já são três somente para o primeiro disco: a trip de àcido “Bicicleta”, a sombria e intimista faixa-título “Polaris”, com lindas imagens em estações de metrô e cenários urbanos soturnos, e o elogiado vídeo de “Long Plays”.

Este último, além de servir de alicerce para o quinteto ter sido indicado ao VMB 2007 (categoria Aposta MTV), realçou de forma sublime uma das mais belas composições do álbum, uma aula de auto estima e de como dar a volta por cima quando se toma um pé na bunda, com direito a passeata de mendigos unidos pela amizade, sem ligar para os altos e baixos que a vida amorosa proporciona. Com belos vocais, riffs e solos de guitarras consistentes, os integrantes Pedro (guitarra e vocais), Guri (guitarra e vocais), Guilherme (contrabaixo), Amaro (piano e vocais) e Cachaça (bateria) conseguiram concretizar uma bela obra, tudo com muito suor e esforço que todas bandas independentes despejam diariamente mundo afora. Outras faixas de destaque são “Precipício”, “Tempo”, “Lugar Qualquer” e “Sobre a Estrada”.


Blackbirds - Nada Está Tão Ruim Que Não Possa Ser Piorado

Os Blackbirds lançaram pela Senhor F Virtual, seu terceiro disco: o EP Nada Está Tão Ruim Que Não Possa Ser Piorado. Eles saíram de Veranópolis na Serra gaúcha (região de Caxias do Sul), em 2004 e foram pra Porto Alegre, formada por Jus Blackbird (vocal), Julio Sasquatt (Bateria), Diogo F. (Guitarra) e Cassiano (Baixo).

A banda encerrou suas atividades ainda em 2007. O motivo do fim: o guitarrista e vocalista Jus foi morar na França. O grupo rodava pelo Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Espírito Santo e São Paulo. Em abril do mesmo ano, Diogo, Cassiano e Júlio ‘Sasquatt’ apresentaram um novo colega, Daniel Téo (ex-integrante das bandas Jeans e Efervescentes), um novo EP e uma banda nova (!): são os TRATORES, a nova encarnação daquilo que era conhecido como Blackbirds. A estréia nos palcos aconteceu num show de abertura para Júpiter Maçã.

O disco conta com 5 faixas (algumas delas já divulgadas no EP Big Band lançado em setembro de 2006) que mostram a influência cada vez mais forte do som punk de bandas como Sex Pistols, The Clash e Ramones, mas ainda mantém uma pitada do pop sessentista – mais nítida nos discos anteriores da bandas: Blackbirds (2002) e Rock Rural (2004).

A ausência dos teclados e o abuso da rouquidão do vocalista, além da escolha músicas com mais impacto, que ajudaram a lapidar o estilo da banda e firmar sua identidade. O disco já começa com a paulada de "Big Bang", que tem uma letra tanto explosiva quanto reflexiva; o gás é aumentado quando começa "Por Um Triz" que teve vídeo clipe produzido. "Supra-sumo", é a terceira canção, contém a frase que dá nome ao disco e dá o ritmo para as músicas que vêm depois, com um gostinho british-indie: "Tóxico" e "Dolismo".

E agora que tu já sabes tudo sobre as bandas e os discos, te atraca, baixa e escuta esses petardos sonoros, há e não esquece de deixar teu comentário...

(CliquePlaypara ouvir um trecho da música)


Simone Capeto - Bom Futuro (2oo5)











01 - Telhados de Paris
02 - Pra Viajar no Cosmos Não Precisa Gasolina
03 - Por Aí
04 - Não me Pergunte a Hora
05 - Doddy II
06 - Bom Futuro (com Nei Lisboa)
07 - Romance
08 - Pra te Lembrar
09 - Particípio
10 - Rima Rica/Frase Feita
11 - Verdes Anos
12 - Dio
13 - Produção Urgente
14 - Junky
15 - Baladas (com Nei Lisboa)
16 - Por Aí (Versão para Pedro)





Os Relógios de Frederico - Quatro Centésimos de Semiton (2000)













01 - Beldades I
02 - Beldades II
03 - Valsa para Almir
04 - Was Is Das Ziel (Quel é...)
05 - Jogo
06 - Mais Uma
07 - Desejo de Matar IV
08 - Chá de Marshmallow
09 - Novre
10 - Pois
11 - Minha Canção - Groves Mi
12 - Rotina Mi
13 - Escalinha
14 - Brinquedos de Montar
15 - Brinquedos
16 - Vamos
17 - Vera Wilson 2000 III
18 - Diamundo
19 - Vatapatatica





Claudio Levitan - com.pacto.triplo (2006)













01 - Alnevola ou Requiem Para Uma Prostituta Virgem
02 - Marcou Bobeira
03 - Alma do Povo
04 - Nada Mais
05 - Sétimo Dia
06 - Eve (Eva)





Móica - Móica (2008)













01 - Disso Eu Sei
02 - Assim É Que É
03 - Será Em Vão
04 - Não Sei Se Vai Valer A Pena
05 - Correr Atrás
06 - Só O Que Ela Gosta
07 - Algo Que Toque O Coração
08 - Junto A Mim
09 - O Mundo É Bem Melhor
10 - Vou Com Você
11 - Eu Já Sei Onde Isso Vai Dar
12 - É O Rock





Wander Wildner - La Canción Inesperada (2008)













01 - Um Bom Motivo
02 - La Canción Inesperada
03 - Os Pistoleiros
04 - Porta Retratos
05 - Amigo Punk
06 - Bocomocamaleão
07 - Wynona
08 - Without You
09 - Filme Chinês
10 - O Reverendo Rock Gaúcho
11 - Mares De Cerveja
12 - En Su Corazón





Tom Bloch - Tom Bloch II (2007)













01 - Sob a Influência
02 - A Dúvida
03 - Imitação da Vida
04 - Situação de Dança
05 - Entre Nós Dois
06 - A Invenção
07 - Vendetta (Frase-Feita)
08 - O Refém
09 - Por Favor, Mente





Vários - A Música de Porto Alegre (1993)













01 - Lutamos Para Viver - Os Brasas
02 - Estarei Com Você - Os Cleans
03 - Cabelos Varridos - Liverpool
04 - Coração de Maçã - Utopia
05 - Voando Alto - Inconsciente Coletivo
06 - O Trem - Bixo da Seda
07 - Relâmpagos do Progresso - Byzarro
08 - Reverber – Taranatiriça
09 - Sabe O Que Acontece Comigo - Garotos da Rua
10 - Nicotina – Replicantes
11 - Nega – Urubu Rei
12 - O Alienado - Astaroth
13 - Não Chores Lola - Julio Reny
14 - Expresso Blues - Moreirinha e Seus Suspiram Blues
15 - Longe Demais das Capitais - Engenheiros do Hawaii
16 - Sodomia – Defalla
17 - Entra Nessa - TNT
18 - Campo Minado - Bandaliera
19 - Sees of Violence - Leviathan
20 - Homens Caixa - Nenhum de Nós
21 - Morte Por Tesão - Os Cascavelletes
22 - Útero – Colarinhos Caóticos
23 - Patê – Graforréia Xilarmônica
24 - Play That Rock - Frank Solari





Pata de Elefante - Um Olho no Fósforo, Outro na Fagulha (2007)













01 - Carpeto Volatore
02 - Solitário
03 - Hey!Play
04 - Um Olho no Fósforo, Outro na Fagulha
05 - Pesadelo Hippie 3
06 - Estranha
07 - MartaPlay
08 - Presente para Mary O
09 - DorothyPlay
10 - Gigante
11 - Pesadelo Hippie 4
12 - Da Tua Irmã Eu Também Gosto
13 - Bolero das Arabias
14 - Breve Visita de Wilson a Nova Orleaes
15 - Bang Bang
16 - Satuanograso
17 - Don Genaro
18 - Até Mais Ver!





Pública - Polaris (2007)













01 - Nem SinalPlay
02 - Precipício
03 - TempoPlay
04 - BicicletaPlay
05 - PolarisPlay
06 - Lugar Qualquer
07 - Long Plays
08 - Tuas Fotos
09 - Das Falsas Intenções
10 - Sobre a Estrada
11 - Raymond





Blackbirds - Nada Está Tão Ruim Que Não Possa Ser Piorado (2007)













01 - Big Bang
02 - Por Um Triz
03 - Supra Sumo
04 - Tóxico
05 - Dolismo





12 comentários:

Mauricio disse...

Muito bom este blog. Graças a você, consegui recuperar alguns discos que escutava nos anos 80 e que marcaram a minha infância e adolescência.

Sugestões de posts: O 1° disco da Hard Working Band (que eles tocam classicos da Black Music), os discos da Graforréia (Chapinhas de Ouro e Coisa de Louco 2), o unico CD da Videohits, alguma coisa sobre a Rotentix.

RamonRamyres disse...

Valeu Maurício...

Boas sugestões para o próximo grandes discos...

Abraço

Bauhausler disse...

Esse tal de Adrive é um lixo, não rola link. Mas o blog é massa!

Anônimo disse...

Está faltando a música 07-Vendetta(Frase-Feita) no álbum da Tom Bloch (Tom Bloch 2).

stainha disse...

Endosso o que o Bauhausler disse: o Adrive tá sempre ocupado... Melhor escolher outro.

RamonRamyres disse...

Pois é minha gente amiga...Estou passando dificuldades com o ADRIVE....


O pior é que temos mais de 2000 discos upados nele....

Rocinante disse...

Parabéns pelo trabalho, meu amigo!Otimo serviço prestado.
Vai um relincho.

Anônimo disse...

Olá. Eu postei os três primeiros discos do Wander Wildner na internet, por estarem esgotados, em formato FLAC, sem perdas de áudio, que preserva os dados do cd original. Se quiseres colocar os links no blog será um prazer contribuir. Aqui vão eles:
Baladas Sangrentas - FLAC:
Parte I: http://www.4shared.com/file/yM-S5vbz/WW_-_BS_I.html
Parte II: http://www.4shared.com/file/ZWThl9Nn/WW_-_BS_II.html
Buenos Dias - FLAC:
Parte I: http://www.4shared.com/file/LqldeZ2R/WW_-_BD_I.html
Parte II: http://www.4shared.com/file/HzOfKz3t/WW_-_BD_II.html
Eu Sou Feio... Mas Sou Bonito - FLAC
Parte I: http://www.4shared.com/account/file/EfuOPHpv/WW_-_ESFMSB_I.html
Parte II: http://www.4shared.com/file/hyfm7yOj/WW_-_ESFMSB_II.html

Qualquer dúvida, é só mandar e-mail para o endereço rors.chach@hotmail.com.

Abração, parabéns pelo trabalho desenvolvido.

Anônimo disse...

ola, tudo bem!!!

o que foi escrito dos Blackbirds está errado!!!!
O jus foi para europa e os irmãos farinas e júlio sasquatt formaram com o Dani Téo os Tratores, mas lançamos juntos apenas uma música um cover dos beatles....Step inside love regravada para uma coletanea que saiu do white album pela gravadora discobertas do Rio de janeiro. e nunca abrimos o show do Júpiter....

O EP que lançamos pelo senhor F é com o jus, e agora em outubro de 2010 lançaremos nosso terceiro disco pelo selo

ALTA VOZ de Caxias do SUL!!!!!!

Abraço!!!! Júlio Sasquatt- Baterista dos Blackbirds e do Júpiter Maçã!!!!

Mano Mylius disse...

Primeiramente, parabéns pelo trabalho de resgate da música gaúcha, que é e sempre foi a melhor do Brasil. Pena que o pessoal é meio encolhido e gosta de ficar nos porões.
Pessoal, abram seus baus e postem aqui no Durango e repassem esta história maravilhosa da música popular gaúcha.
A propósito, o link para download do disco "Vários - A Música de Porto Alegre (1993" não tá funcionando. Tem como conseguir?
Um grande abraço,

Mano Mylius
www.70disconights.blogspot.com

Anônimo disse...

Cara, reposte o disco "A Música de Portoi Alegre" em servidores que prestam como o Mediafireq, 4 Shared. Esse Adrive é uma porcaria. Há tempos procuro por esse disco e nada de encontrar um link dele. Quando encontro o link está desativado. Daí é complicado, né?

Anônimo disse...

Cara, reposte o disco "A Música de Porto Alegre" em servidores que prestam como o Mediafire, 4 Shared. Esse Adrive é uma porcaria. Há tempos procuro por esse disco e nada de encontrar um link dele. Quando encontro o link está desativado. Daí é complicado, né?

Postar um comentário

 
RamonR