Grandes discos do Rock Gaúcho 12

Photobucket
Acreditem amigos: eu me divirto muito a cada edição do Grandes Discos, pois escuto os cd's como se fosse a primeira audição... Que privilégio ter uma cena tão forte, não é meu povo??? Diversão garantida é o que trago para os amigos do Durango... Vamos para mais uma "festa" do melhor rock das américas, curtam os petardos:


Stereo Box - Bem Vindos Ao Showbiz

A Stereobox durou 8 anos na estrada. Depois de uma temporada no Rio de Janeiro, onde gravou seu primeiro disco, Bem Vindos Ao Show Biz, teve a musica "Adorável Ladra" tocando em várias Fm's do estado, e "Nosso Amor Anda Tão Bem" seguindo o mesmo caminho.

A Stereobox foi ousada. Foi em 99, quando os quatro integrantes decidiram fazer as malas e começar a trajetória na "Cidade Maravilhosa" (sic). Lá moraram durante três anos, gravaram o primeiro trabalho no AR Discos, em um dos maiores estúdios do mundo, além de terem lançado em alguns estados do Brasil as músicas referidas acima.

Ousados também quando viajaram quase dois mil kilômetros para participar de um festival, tocando apenas 20 minutos, o que valeu um contrato com uma das maiores gravadoras do país. De volta a Porto Alegre, produziram o disco Hábitos Estranhos em 2005, que a levou para a Indie Records, onde nada aconteceu e o disco não chegou a ser lançado como previsto. Pode-se encontrar esse disco em algumas lojas de Porto Alegre, mas com muita sorte.

"Um Dia Sem Você" e "Os Anjos", lideraram as paradas de algumas rádios por semanas, quando a banda ainda estava sem gravadora. Em 2006, renovada mas mantendo a mesma essência pop, a Stereobox investiu na independência artística e sonora, fazendo música pela música, usando e abusando do real e do virtual, lançando quando bem entendesse as músicas e vídeos de um provável novo trabalho. Isso pode ser percebido nas faixas "Parece Estranho" e "Mar Adentro" (esta com clipe lançado) - que estariam presentes nesse novo álbum, que foi concebido por IQO (vocal/guitarras/violão); Paulo Inchauspe (guitarras/baixo/teclados) e Caio Girardi (bateria).


Jupiter Maçã - Uma Tarde na Fruteira

Quase três anos depois de sua gravação finalmente chegou ao Brasil (foi lançado no começo de 2007 na Europa, pela gravadora Elefant Records) a versão oficial do Cd Júpiter Maçã Uma Tarde na Fruteira. Este é sem dúvida, um dos melhores álbuns já feitos no início deste século. O cd abre com Júpiter cantando "Antes de mais nada eu gostaria de explicar.." e assim nos apresenta ritmos brasileiros, rock'n'roll, mutantes, bossa nova, Birds, Bob Dylan, marchinhas, psicodelia e crônicas alcoólicas, num trabalho brasileiramente mundializado.

As músicas já são conhecidas nas rádios e, quatro delas, também fizeram parte da trilha sonora do longa Wood & Stock. O “Tarde” traz canções como "Síndrome de Pânico", dando ênfase às neuroses contemporâneas, "A Marchinha Psicótica de Dr. Soup" que virou clipe, "Little Raver" às afetações psicodélicas, "As Mesmas Coisas" um fado português tupiniquim. Jupiter ainda faz uma homenagem indiana a George Harrison, com "Beatle George". "Carvão Sobre Tela" é uma bossa sobre os retirantes que circulam pelo mundo. Já "Base Primitiva" é uma viagem pelo mundo dos deuses astronautas. São quinze canções da mais fina-flor sonora. O disco tem a produção musical e alguns sopros de Tomas Dreher.

Texto: Paola Oliveira


Superguidis - A Amarga Sinfonia do Superstar

“O teu dom de te esconder de mim só é menor do que o meu de não te achar...”, a frase de abertura da canção “Por Entre as Mãos”, a primeira do segundo disco do Superguidis já denuncia que a banda não perdeu a mão da estréia. Mesmo sem contar com o frescor do primeiro trabalho (um dos melhores de 2006), A Amarga Sinfonia Do Superstar mostra inúmeros méritos.

Lucas Pocamacha (guitarra e vocais), Andrio Maquenzi (voz e guitarras), Diogo Macuedi (baixo) e Marco Pecker (bateria) mostram competência suficiente e registram algo difícil por estas terras, conseguem identificar sua marca, a marca “superguidis” de qualidade. As letras continuam com grandes tiradas, fugindo do lugar comum com uma naturalidade espantosa, enquanto as doces melodias são dispostas em meio a riffs e mais riffs de guitarra.

Mais uma vez lançado pelo Senhor F, esse segundo registro foi gravado em Brasília sobre a produção de Philippe Seabra (Plebe Rude), que contribuiu para que o som do quarteto ganhasse mais corpo sem perder a identidade. O disco vem completo de grandes canções como a excelente “Mais Do Que Isso” (...não sou nem quero ser um gênio/desses que fazem história/eles são todos arrogantes/do mundo são a escória...).

Como destaques maiores temos a bem humorada “A Exclamação” (...de tanto responder perguntas eu virei uma exclamação...), a pop e séria candidata a hit “Parte Boa” ou os riffs matadores de “Mais Um Dia de Cão” já liberada anteriormente em versão demo. Aliás, as cinco músicas que abrem o disco são de um poder impressionante. E não pára por aí, tem a regravação de “Ainda Sem Nome”, a percepção do tempo em “Os Erros Que Ainda Irei Cometer” ou a bonita “6 Anos” que fecha o disco.

Grande disco. Um dos melhores de 2007. Canções que fazem sorrir e devem ser tocadas no último volume. Se dúvida disso ouça o rock n roll de “Riffs”, faixa escondida repleta de energia e bom humor para comprovar.


Zé do Bêlo – Zé do Bêlo Salva!

Zé do Bêlo é um tradutor do imaginário sulista, e por isso cultuado pelo underground gaúcho. Ele apresenta programa de rádio, é garoto-propaganda da cerveja Polar, e já foi candidato a vereador pelo Partido Verde - com a promessa de acabar com as baratas em Porto Alegre. Em seu disco, Zé do Bêlo Salva, o cara que carrega a vida numa mochila (e o violão a tiracolo) transita com maestria pelo samba, dá umas pedradas no reggae roots e no rock blues e não tem pudor de flertar com a música sertaneja. A poesia de boteco nunca foi tão rockeira e ácida como nas canções de Zé do Bêlo.


Nascido em Porto Alegre, ganhou o primeiro violão aos 17 anos. Frequentou a Academia Prediger de Música. Gravou suas primeiras composições em 1995 numa fita demo. Passou a tocar nos bares do circuito underground de Porto Alegre e RS. O estilo 'samba escrachado' do artista logo começou a fazer sucesso entre a galera da musica alternativa e independente.

Em 1996, gravou três canções na Coletânea 'Os Ex-Cluídos'. As músicas logo passaram para a programação das radios. Em 98, Zé do Bêlo gravou uma faixa na Coletânea 'As 15 Mais da Rádio Ipanema FM'. Participou de diversos programas de entrevistas na TV e no rádio. Em 99, gravou seu primeiro cd solo, 'Acustico', lançado pelo Selo Barulhinho.

O video-clip da musica 'Reprise' entrou para programação das madrugadas da MTV nesta época. A partir de 2002, Zé do Bêlo passou a militar no Partido Verde. Foi o candidato mais votado na legenda nas eleições para vereador. Participou de episódios da série POA-RS na TV. Produziu e apresentou programa na rádio Ipanema FM em 2005, com expressiva audiência, ao lado do colega músico/compositor/jornalista King Jim. Neste mesmo ano participou de comercial na TV para o anunciante AMBEV/Cerveja Polar.

Em 2006 fez filmes publicitários na TV para a campanha 'Cerveja Polar na Copa do Mundo' ao lado de belas mulatas. Neste mesmo ano lançou novo cd, pela gravadora Loop Discos. Ganhou dois clipes produzidos pela Zeppelin Filmes, que logo entraram na programação da MTV. Em 2007 atuou na campanha do anunciante Grappa Motos Sundown, com diversos comerciais para TV e anuncios em jornais e revistas.


Vários - Acústico MTV Bandas Gaúchas

Acústico MTV Bandas Gaúchas foi um projeto da MTV que juntou Bidê ou Balde, Cachorro Grande, Ultramen e Wander Wildner em um só show, transformado em programa de TV, CD e DVD. Foi um projeto inovador, pois juntou 4 artistas em um só Acústico e pela 1ª vez um tema no projeto: Rock Gaúcho.

A MTV, em uma iniciativa inédita, lançou o Acústico MTV Bandas Gaúchas. Atitude inédita porque, muito mais do que um projeto artístico, a fórmula adotada pela emissora sempre se mostrou mais focada em dar novo fôlego para carreiras estagnadas (em casos como Titãs, Rita Lee, Capital Inicial e muitos outros) do que na produção de um material de qualidade musical e artística incontestável (os programas com Ira e Engenheiros são grandes exemplos disso).

Por mais estranho que possa parecer, a idéia para o projeto nasceu durante a produção do "MTV Ao Vivo Nando Reis", gravado no Bar Opinião, em Porto Alegre. A equipe da emissora passou uma semana na capital fazendo os preparativos para o show e, neste período, teve contato direto com a cena que rola, há muito tempo, no RS.

Foi na platéia de um show do Ultramen no Bar Ocidente (marco underground histórico de Porto Alegre) que a diretora da MTV Ana Butler percebeu a força do que estava na sua frente, e deu o OK para o desenvolvimento do projeto.


Reação Em Cadeia - Febre Confessional

Rotulado com entusiasmo pelos seus integrantes de “o CD”, este é o terceiro álbum na discografia desta boa banda gaúcha. Os dois primeiros trabalhos, “Neural” (2002) e “Resto” (2004), trouxeram prestígio para alçar vôos maiores e agora, pela Deckdisk, Jonathan Correa (vocal), Daniel Jeffman (guitarra), Maurício Faria (baixo) e Elias Frenzel (bateria), esperam mostrar sua música de forma mais ampla.

Febre Confessional é antes de mais nada, um álbum raro no atual cenário Rock Pop nacional: sobra adrenalina, pegada e atitude. Contribuiu, e muito, para tanto o produtor Rafael Ramos, que cuidadosamente optou por equipamentos da ‘velha guarda’ para fazer este bem acabado álbum, deixando-o com uma sonoridade vigorosa, e sobretudo extrair o máximo dos bons músicos.

O resultado: Rock anos 90, com traços de Pearl Jam e principalmente Alice In Chans e Deftones
nas 11 boas faixas presentes no álbum. Destaques para a faixa de abertura “O Jantar”, para a faixa seguinte e primeiro ‘single’ do álbum, “Os Dias”, “Te Desejo” e “Dentro do Silêncio”, faixa que encerra o ‘track list’. Febre Confessional é um ótimo álbum que injeta uma boa e oportuna dose de atitude no necessitado Rock Nacional.


Wander Wildner - No Ritmo da Vida

Encartado com o número dois da revista Outracoisa, o cd do punker Wander Wildner, é uma coletânea de hits acrescida de algumas músicas inéditas do cancioneiro auto-biográfico do índio. Neste disco que é o quinto de sua carreira solo, Wildner revisa seu estilo chamado de Punk Brega, justamente por descrever sua vida em cada uma das músicas.

As músicas desfilam versos super conflituosos e de uma sinceridade ímpar, como é o caso da música “Mantra das Possibilidades” (“minha vontade é ser bonito, mas eu não consigo...”, “sonho em ter cabelo comprido, mas eu não consigo...”). É assim também na música “Anjos e Demônios” (“Anjos e Demônios passam por mim, cruzam os céus e zombam de mim...”). “Eu Não Consigo Ser Alegre O Tempo Inteiro”, segue a linha brega e é um dos destaques do disco, é um rock a lá anos 80 que descreve uma dor de cotovelo de um amor mal resolvido.

Mas o disco também traz uns hits bem pesados como “Eu Tenho Uma Camisa Escrita Eu Te Amo” e “On The Road”, escapista e empolgante ao extremo. Outro destaque é a música “Damas da Noite” sobre “as mulheres da vida”, letra forte e realista que entrega o estilo escancarado de compor de Wander Wildner.

Por fim, o disco ainda traz um soneto musicado de Glauco Matoso chamado “Ensaístico” interpretado e pontencializado pelo esporro da voz do cantor. Enfim, é uma excelente oportunidade para que não conhece o artista sair do zero e curtir este brilhante compositor.


Subtropicais - Temporal no Céu da Boca

Temporal no Céu da Boca é o disco de estréia da banda portoalegrense Subtropicais. Sim, estamos abaixo do trópico, mas precisa levar isto a sério? Os Subtropicais levam muito a sério. A banda faz música abaixo do trópico, mas para todas as latitudes do mundo. Neste disco, as músicas são uma ode ao movimento tropicalista da década de 1960, porém com uma pitadinha de umidade, céu, sol, sul, terra e cor.

Aqui tudo que se planta bem cresce e, Os Subtropicais, no seu amadurecimento precoce, vão conquistar os pratos de muitos roqueiros. Não é a toa que a qualidade musical está em primeiro plano neste primeiro disco. O baixista Brawl tem experiência vivida na cena roqueira gaúcha, fazendo parte de grandes bandas como Proveitosa Prática, Os Cozinheiros, Levitan & Os Tripulantes, entre outras. Além dele, a impecável produção de Marcelo Fruet, deixa claro que a banda tem uma influência determinista, afinal, Fruet convive com os caras desde guri. Destaque para as primeiras faixas “TV” e “São Nunca”, uma salada de groove, rock e psicodelia.


Formada em 2000, em Porto Alegre, a banda começou a botar em prática idéias despretensiosas de fazer músicas que conciliassem originalidade e qualidade, dentro da cena de Rock do Rio Grande do Sul. Ao aproximar diferentes vertentes da música contemporânea, com sinuosas ênfases, ora nas guitarras, ora na parte rítmica, o grupo apresenta uma profunda fusão de estilos
e ritmos da música brasileira sob uma base forte de rock, com grande naturalidade e competência. A sonoridade característica dos Subtropicais está em algum lugar entre a inspiração e a criação. Mesclam os ritmos em uma fusão que não poderia ser nada menos que subtropical.


Sasquatch - Sasquatch

O primeiro disco da banda Sasquatch (ex-Kuria), disco este que leva o nome da própria banda, é a tentativa de três grandes amigos e batalhadores de longa data do rock gaúcho (melhor dizendo rock feito no Vale dos Sinos) de mostrar um trabalho com ênfase nas canções.

Arranjos simples, melodias que lembram muitas vezes até a mpb feita nos anos 70, pouca ou nenhuma pretensão de parecer moderno, pós/neo/indie, enfim sem tentar se prender ou parecer influenciado por modismos ou novas tendências.

São 12 canções no mais puro e singelo contexto. Algumas com pegada mais rock´n roll (o que seria impossível de não ocorrer, devido ao histórico de seus integrantes), outras mais amenas, o primeiro disco da Sasquatch é garantia de bom gosto e simplicidade.


Bedeu - Swing Popular Brasileiro

Jorge Moacir da Silva, o Bedeu, partiu no dia 05 de agosto de 1999 deixando saudosos todos aqueles que balançaram ao som do swing, do samba e do rock produzidos por este cantor e compositor gaúcho. Entre os inúmeros sucessos deixados por ele, quem não recorda de Menina Carolina, Kid Brilhantina, Minha Preta, Não Joga Nada e Quer Massagem, Flor, Nega Olívia, Toca Direito, Olegário e tantos outros ?

A carreira de Bedeu teve início nos anos 70, quando teve uma passagem por São Paulo, convivendo com grandes músicos e tendo várias de suas composições gravadas por gente como Neguinho da Beija-Flor, Jair Rodrigues, Wilson Simonal, Originais do Samba, Dhema, Bebeto e Luis Wagner. Como instrumentista de percussão, gravou com Eduardo Assad, Nelson Aires, Cesar Camargo Mariano, Dudu França, entre outros.

Em 75, de volta à Porto Alegre, fundou o Grupo Pau Brasil, ao lado de Cy, Alexandre, Nego Luís, Leco e Leleco Telles. Com dois LP’s gravados, eles foram responsáveis por uma verdadeira reformulação no samba, criando um estilo próprio ao fazer uma ponte entre o rock e o samba. O primeiro disco, “O Samba e Suas Origens” (1978), foi lançado pela Beverly/Copacabana e o segundo, “Pau Brasil” (1979), saiu pela Continental.

Em 83, lançou-se em carreira solo, com o LP “África no Fundo do Quintal” (Copacabana). Em 88, a Continental lançaria a coletânea “Samba Rock em Dois Tempos”, com duas músicas de Bedeu: Kid Brilhantina e Tribo Guerreira, além de “Um Zero pra Bedeu”, de Luis Vagner.

Depois, em 93, lançaria o CD “Iluminado”, gravado em São Paulo e que traz algumas pérolas do samba-rock brasileiro, como "Saudades de Jackson do Pandeiro" (parceria com Luis Vagner) e "Kid Brilhantina" (parceria com Alexandre). São dessa época dois discos produzidos pelo SBT, “Remix do Samba - Volumes I e II”, onde Bedeu atua como intérprete, além da coletânea “Nos Bailes da Vida”, pela Warner, onde aparecem "Nega Olívia", "Minha Preta" e "Menina Carolina".

Em 98, lança seu último trabalho, o CD Swing Popular Brasileiro, com apoio da Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre, reunindo alguns clássicos e composições inéditas, uma delas com seu novo parceiro Totonho Villeroy.

Em 2001, sairia o CD “Tributo ao Bedeu”, com apoio do Fumproarte e da Prefeitura de Porto Alegre, gravado ao vivo no Auditório Araújo Vianna, com produção de Alexandre e Márcio Gobatto. Neste trabalho, vários de seus amigos e parceiros homenageavam sua obra, entre eles, Nanci Araújo, Gelson Oliveira, Wilson Ney, Lúcia Helena, Xandelle, além de seus parceiros da época do Grupo Pau Brasil, como Leleco Teles, Alexandre, Leco, Paulinho Romeu e Cy, entre outros. Bedeu nasceu em Porto Alegre, no dia 04 de dezembro de 1946.

E agora resta só baixar os discos e se deleitar...Não esquece de deixar teu comentário...

(CliquePlaypara ouvir um trecho da música)


Stereobox - Bem Vindo ao Showbizz (2oo1)













01 - Livre de Você
02 - Tempo de Despertar
03 - E La Nave Va
04 - Nosso Amor Anda Tão Bem
05 - Dance pra Mim
06 - Outra Noite
07 - Lado Ingrato
08 - Entre Nós
09 - Adorável Ladra
10 - Dinheiro






Júpiter Maçã - Uma Tarde na Fruteira (2008)













01 - A Marchinha Psicótica De Dr. SoupPlay
02 - Tema de Jupiter Maçã
03 - Base Primitiva Revisitada
04 - As Mesmas Coisas
05 - Little Raver
06 - A Menina Super Brasil
07 - Plataforma 6
08 - Síndrome Do Pânico
09 - Casa De Mamãe
10 - Beatle GeorgePlay
11 - Mademoiselle MarchandPlay
12 - Carvão Sobre Tela
13 - Viola De Aço
14 - Um Sorvete Com Vocês
15 - A Marchinha (reprise)






Superguidis - A Amarga Sinfonia do Superstar (2007)












01 - Por Entre as MãosPlay
02 - Mais do que IssoPlay
03 - A Exclamação
04 - Parte Boa
05 - Mais um Dia de Cão
06 - O Cheiro do Óleo
07 - Ainda sem Nome
08 - Os Erros Que Ainda Irei Cometer
09 - Nunca Vou SaberPlay
10 - Apenas Leia
11 - 6 Anos






Zé do Bêlo - Zé do Bêlo Salva! (2006)













01 - Bafo de Tigre Louco
02 - Bebe, O Gás Acabou
03 - Botequim de Esquina
04 - A Filha do Sorveteiro
05 - Reciclagem
06 - Bolero da Morena
07 - Caso Pensado
08 - Nhá-nhé-nhé
09 - Amor, Fui Ali na Esquina
10 - O Puxadinho
11 - Duelo
12 - Fina Estampa do Bagaço
13 - Reggae da Barata
14 - Quando Você Diz
15 - Tá na Hora da Cervejinha






Vários - Acústico MTV - Bandas Gauchas (2005)













01 - Microondas (Bidê ou Balde)
02 - Bromélias (Bidê ou Balde)
03 - E por que Não? (Bidê ou Balde)
04 - Melissa (Bidê ou Balde e Roger, do Ultraje a Rigor)
05 - Mesmo que Mude (Bidê ou Balde)
06 - Sexperienced (Cachorro Grande)
07 - O Dia de Amanhã (Cachorro Grande)
08 - Hey Amigo (Cachorro Grande)
09 - Dia Perfeito (Cachorro Grande e Paulo Miklos, do Titãs)
10 - Que Loucura! (Cachorro Grande)
11 - Ultramanos (Ultramen)
12 - Santo Forte (Ultramen)
13 - Máquina do Tempo (Ultramen)
14 - Dívida (Ultramen e Falcão, d'O Rappa)
15 - Preserve (Ultramen)
16 - Rodando El Mundo (Wander Wildner)
17 - Mantra de Possibilidades (Wander Wildner)
18 - Bebendo Vinho (Wander Wildner)
19 - Eu Não Consigo Ser Alegre o Tempo Inteiro (Wander Wildner)
20 - Eu Tenho uma Camiseta que Diz Eu Te Amo (Wander Wildner)
21 - No Ritmo de Vida (Wander Wildner)






Reação em Cadeia - Febre Confessional (2006)













01 - O Jantar
02 - Os Dias
03 - Perdi Você
04 - G.A.B.I
05 - Te Desejo
06 - Pânico
07 - Tarde Demais
08 - Me Deixe em Paz
09 - Propaganda
10 - Sem Querer
11 - Dentro do Silêncio






Wander Wildner- No Ritmo da Vida (2004)













01 - Bebendo Vinho
02 - Eu Não Consigo ser Alegre o Tempo Inteiro
03 - Anjos & Demônios
04 - Eu Tenho uma Camisa Escrita Eu Te Amo
05 - Mantra das Possibilidades
06 - O Sol Que Me Ilumina
07 - Ustê
08 - Adeus às Ilusões
09 - No Ritmo da Vida
10 - Damas da Noite
11 - On The Road
12 - Ensaístico






Subtropicais - Temporal no Céu da Boca (2007)













01 - TVPlay
02 - São NuncaPlay
03 - Cinema do Céu
04 - Temporal
05 - Subtropical
06 - A Fúria do Samba
07 - Eletricidade
08 - M´boitatá
09 - ...Vem a Noite
10 - Sebastião
11 - Sonho Vivo
12 - Nada de MimPlay






Sasquatch - Sasquatch (2007)













01 - Brando Amor
02 - Risos de Verão
03 - Fogo Forte Transparente
04 - Estrela Rara
05 - Olhos Atentos
06 - Outro Lugar
07 - Prisioneiro do Amor
08 - O Que Eu Faço
09 - Custe O Que Custar
10 - Contar Contigo
11 - Riso de Austronauta
12 - Momentos






Bedeu - Swing Popular Brasileiro (1998)













01 - Saudade do Jackson do Pandeiro
02 - Onde É Que Fica?
03 - Flor
04 - Deliciosamente Colorida
05 - Diabaria
06 - E VocÊ Não Vem
07 - Vou Levando
08 - Araruta
09 - Você É Uma Louca
10 - Unidos Venceremos
11 - Yo No Puedo Olvidar
12 - Rei negro
13 - Grama Verde
14 - Pau-Brasil




8 comentários:

Thiago disse...

Não tô conseguindo baixar o cd do Bedeu. Poderia dar uma olhada pra nós? Valeu e parabéns pelas postagens!!! Até mais...

RamonRamyres disse...

adicinei outro link Thiago....Vai com fé...

Hehehehehe

Abraço

Anônimo disse...

O Stereo Box so tem 9 musicas!!!

Valeu!!!

Anônimo disse...

Ola

O Album Reação em Cadeia que esta postado é o NEURAL(2002)

Poderiam postar o album de 2006?

Abraço

Anônimo disse...

Desculpe a confusão!!

O Neural esta como link do Jupiter Maça

Obrigado

Thiago disse...

Valeu pela troca! Sucesso!!!

Anônimo disse...

pelo amor de Deus, me ajude, não consigo baixar o Bedeu, o link tem problema.

Darlan disse...

O Link do cd da Sasquatch não está funcionando... teria como reupar pra gente??? valeeeeeeu!!!!

Postar um comentário

 
RamonR